POLÍTICA

Credores Recusam-se em Renegociar dívida da EMATUM

Uma parte dos credores de Moçambique, se recusam a aceitar a proposta do governo para renegociar a dívida contraída pela Empresa Moçambicana do Atum (Ematum), e acusam as autoridades moçambicanas de terem optado pelo default na semana passada, avançou a Agência de Informação de Moçambique (AIM).

Segundo a fonte acima, o governo moçambicano deveria ter pago 60 milhões de dólares aos credores referentes aos juros vencidos na quarta-feira da semana passada.

As acusações são dos credores que adquiriram títulos emitidos inicialmente pela Ematum em 2013, época em que Armando Emílio Guebuza estava no poder.

Os títulos eram no valor de 850 milhões de dólares e foram emitidos pelos bancos europeus Credit Suisse e VTB da Rússia.

O governo moçambicano alertou os credores sobre a situação financeira do país em Outubro e, por isso, convidou-os a renegociar.

Apesar dos avisos, os credores não acreditaram na versão do governo moçambicano.

Segundo avançou a agência de notícias Bloomberg, Charles Blitzer, um consultor com sede em Washington e que está assessorar a maioria dos detentores dos títulos insiste, contra todas as evidências, que o governo moçambicano está em condições de pagar.

“O não pagamento da quarta-feira foi um default estratégico e não motivado pela incapacidade de fazer o pagamento”, disse Blitzer.

“Pensamos que esta estratégia não é propícia para avançar não apenas connosco, mas de forma mais abrangente. Não é propícia para restabelecer a confiança dos futuros credores e investidores.”

O Bloomberg noticiou que os credores não tencionam discutir a reestruturação da dívida antes da conclusão e divulgação dos resultados da auditoria independente as empresas Ematum, Proindicus e MAM. Aguardam ainda que Moçambique alcance um novo programa com o FMI.

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

Seja o primeiro a comentar!

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.