POLÍTICA

“A FIR está a vandalizar, a saquear os bens da população, a matar inocentes” diz uma vítima

Depois de Populares do Distrito da Gorongosa, na província central de Sofala, terem denunciado torturas, assassinatos e sequestros que sofriam nas mãos das Forças de Defesa e Segurança, dessa vez foi a população da província da Zambézia a acusar as tropas governamentais de incêndios e roubos.

Estudo financiado pelo Fundo Europeu de Jornalismo de Investigação confirma testemunhos de abusos.

“As Forças de Intervenção Rápida estão a vandalizar, a saquear os bens da população, a matar inocentes”, disse um dos refugiados do conflito, na província da Zambézia, citado pela DW África.

A população “não foge por causa da tropa da RENAMO, mas por causa da tropa da FRELIMO”, acrescentou o cidadão. A polícia diz não ter conhecimento destas ocorrências.

Segundo avançou o portal DW África, o testemunho dos populares vai, porém, ao encontro de uma recente investigação financiada pelo Fundo Europeu para Jornalismo de Investigação (FEJI). O estudo dá conta de que as forças de defesa e segurança cometem crimes e violações contra populações locais, o que contraria o discurso do governo, que responsabiliza única e exclusivamente os homens da RENAMO por ataques contra a população.

No entanto, dizem os investigadores, a maioria dos testemunhos recolhidos no estudo levado a cabo em Sabe, Zimpinga, Muxúnguè, Gorongosa e Morrumbala “atribuiu a autoria da violência e dos crimes às forças de segurança e defesa de Moçambique – e não aos guerrilheiros da RENAMO”.

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

2 Comentários

  1. Anísio disse:

    Sera q não nenhum país q possa ajudar ao povo moçambicano até para ser torturado desse jeito

  2. o do o deste artigo deve convidar o djakama sair da mata para falar com presidente FIlipe Jacinto Nyussi.

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.